Filed under O que é o PET?

Questionário do PET-Direito às(aos) alunas(os) do curso

Caras(os) colegas de curso de Direito da UFSC,

O PET-Direito sempre se preocupou em organizar processos seletivos públicos e transparentes, com editais precisos e bancas com membros externos, além da atenção no cumprimento de prazos e datas. Contudo, sabemos que todo esse cuidado com a isenção e organização do processo não dão conta de todas as questões relativas à entrada no programa por aquelas(es) que se submetem à seleção.

Nesse sentido, gostaríamos de compreender as razões pelas quais as(os) estudantes do curso de graduação em direito participam ou não dos nossos processos seletivos, as maiores dificuldades e estímulos, bem como questões relativas à produção textual e os possíveis entraves que a ausência de formação nesse ponto possam causar.

Solicitamos, então, que as(os) estudantes de todas as fases da graduação respondam esse questionário, objetivando ou não participarem do processo seletivo com edital aberto neste momento. A participação de todas(os) é essencial para que compreendamos o cenário do curso e tornemos nossas seleções cada vez mais democráticas!

O questionário é anônimo, curto e rápido de responder. Pode ser acessado em: http://bit.ly/QuestPet

Contamos com a sua colaboração!

O que é o PET?

 

O PET constitui-se em programa de educação tutorial desenvolvido em grupos organizados a partir de cursos de Graduação das Instituições de Ensino Superior do País.
Fundado em 1984, junto ao Centro de Ciências Jurídicas da UFSC o PET Direito, inserido, como todos os outros, no modelo padrão, nasceu com o objetivo central de contribuir para elevar a qualidade da formação acadêmica dos alunos de graduação, estimular o espírito crítico e a formação de profissionais e docentes de elevada qualificação científica, tecnológica e acadêmica, e tem uma longa história centrada no pilar do “ensino”, com ênfase na formação acadêmica individual. Poderíamos então referir este modelo decenário sob a sigla de PET-estudante, que comportava um perfil de PET efetivamente Tutorial.
Este modelo foi paulatinamente se deslocando para caminhar ao encontro da pesquisa e, depois, da extensão, até chegar a um formato mais ambicioso. Desde 2005, o PET passou, normativamente, a se orientar “pelo princípio da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extenção”, ampliando seus objetivos originários: para além daqueles citados, deve desenvolver atividades acadêmicas em padrões de qualidade de excelência, mediante grupos de aprendizagem tutorial de natureza coletiva e interdisciplinar; bem como estimular a atuação profissional pautada pela cidadania e pela função social da educação superior e, inclusive, formular novas estratégias de desenvolvimento e modernização do ensino superior no País.
Do PET-estudante ao PET-pesquisador e militante, engajado tanto na otimização dos cursos de graduação, quanto na construção social da cidadania, temos o rosto de um PET acadêmico-militante, mais institucionalizado e exigente, que reflete a travessia de um PET formador teórico focado no sujeito e na profissão acadêmica individual, a um PET formador teórico-militante, focado tanto no sujeito individual, quanto comprometido com o contexto e os rumos da Graduação, da Universidade e da comunidade.